Exames Fonoaudiologia

Exames Fonoaudiologia

17 Dezembro 2015

Teste de prótese auditiva

Avalie este item
(0 votos)
693 vezes

teste de protese auditiva1

Avaliação do candidato ao uso do aparelho auditivo:

  • Entrevista e análise de todos os exames audiológicos realizados. Realização de testes complementares necessários;
  • Seleção do aparelho auditivo informando os modelos possíveis, realização de teste domiciliar e verificação dos resultados alcançados com uso do mesmo;
  • Devolutiva ao paciente e família dos resultados e do prognóstico esperados.

Acompanhamento ao candidato ao uso do aparelho auditivo:

  • Verificação do desempenho auditivo com aparelho auditivo de uso;
  • Reprogramação do aparelho auditivo de uso com verificação do desempenho auditivo com as modificações realizadas;
  • Devolutiva à família dos resultados alcançados e os resultados esperados.
  • Última modificação em 21/05/2016 - 23:02
17 Dezembro 2015

Teste de função tubária

Avalie este item
(0 votos)
825 vezes

Avalia a permeabilidade da tuba auditiva, sendo indicada quando o paciente refere abafamento nos ouvidos e/ou ruídos ao engolir.

teste

  • Última modificação em 18/04/2016 - 11:41
17 Dezembro 2015

Emissões otoacústicas transientes e produtos de distorção

Avalie este item
(0 votos)
523 vezes

Uum exame que, com o uso de uma sonda que emite sons em algumas frequências selecionadas, avalia indiretamente a audição. Nele verificamos a função das células ciliadas externas existentes na orelha interna. A captação das Emissões Otoacústicas (EOAs) apresenta importância significativa no estudo da função coclear.

Dentre suas aplicações clínicas estão a realização da Triagem Auditiva Neonatal (Teste da Orelhinha); o acompanhamento a pacientes usuários de medicação ototóxica; a detecção de pacientes simuladores e com fadiga auditiva temporária após exposição a ruído intenso e na diferenciação de patologias cocleares e retrococleares quando diagnosticada a perda auditiva neurossensorial.

Esse teste é objetivo (não depende da resposta do paciente) utilizado para avaliar o funcionamento da orelha interna, é rápido, indolor, não é invasivo.

Indicações:

  • Diagnóstico precoce de disfunção coclear, principalmente quando o paciente tem uma audiometria tonal normal.
  • Queixa de zumbido.
  • Tratamento com drogas que causem perda auditiva (alguns medicamentos utilizados em quimioterapia, hipertensão arterial, antibióticos do grupo dos aninoglicosídeos e outros).
  • Auxiliar na informação de problemas no nervo auditivo ou tronco encefálico (retrococleares).
  • Prevenção das deficiências auditivas induzidas por ruído.
  • Monitorização de cirurgia de orelha interna.
  • Prognóstico evolutivo da hidropisia endolinfática ou na doença de Menière.
  • Avaliação da audição em pacientes “difíceis” de serem avaliados por métodos subjetivos (inclusive prováveis simuladores na audiometria).

 

17 Dezembro 2015

BERA/PEATE (Potencial Evocado Auditivo do Tronco Encefálico)

Avalie este item
(1 Voto)
2212 vezes

figura 16

Esse exame é objetivo (não depende da resposta do paciente) e avalia a integridade funcional das vias auditivas nervosas desde a orelha interna até o córtex cerebral. O teste é indolor e não invasivo.


Sua finalidade:

  • Determinar se existe ou não perda auditiva e precisar seu tipo e grau.
  • Estimar se a perda auditiva detectada na audiometria é decorrente de uma lesão na cóclea, no nervo auditivo ou no tronco encefálico.
  • Pesquisar integridade funcional nas vias auditivas do tronco encefálico.

Requisitos para realizar o exame:

  • O paciente deve estar deitado, o mais imóvel possível (para que não haja interferência no traçado do exame).
  • Quando realizado em crianças,devem estar dormindo, pois qualquer movimento interfere na resposta elétrica e inviabiliza sua interpretação.

Esse exame serve para confirmar o diagnóstico de surdez, investigar a sua causa e auxiliar na indicação do melhor tratamento. Por vezes também é importante para o diagnóstico de algumas doenças neurológicas específicas.

Em crianças, o objetivo do exame é obter informações sobre o quanto a criança escuta,além de avaliar o funcionamento do nervo auditivo. Nos adultos, este exame frequentemente  é solicitado pelo médico quando a queixa do paciente é de zumbido, tonturas, perda auditiva assimétrica ou ainda em casos em que o médico precisa saber o quanto o paciente está ouvindo (quando há uma suspeita de simulação na audiometria).

  • Última modificação em 21/05/2016 - 22:45
17 Dezembro 2015

Teste da Orelhinha

Avalie este item
(0 votos)
493 vezes

Um exame que, com o uso de uma sonda que emite sons em algumas frequências selecionadas, avalia indiretamente a audição. Nele verificamos a função das células ciliadas externas existentes na orelha interna. A captação das Emissões Otoacústicas (EOAs) apresenta importância significativa no estudo da função coclear.
Dentre suas aplicações clínicas estão a realização da Triagem Auditiva Neonatal (Teste da Orelhinha); o acompanhamento a pacientes usuários de medicação ototóxica; a detecção de pacientes simuladores e com fadiga auditiva temporária após exposição a ruído intenso e na diferenciação de patologias cocleares e retrococleares quando diagnosticada a perda auditiva neurossensorial.
É um exame objetivo, rápido e indolor. Pode ser realizado em qualquer faixa etária.

exame12

  • Última modificação em 18/12/2015 - 15:44

Centro Profissional Atlântico

 

Policlínica Capão

Últimas Notícias

  • Reabilitação labiríntica ou vestibular Conjunto de exercícios e/ou manobras direcionadas que promovem a recuperação do…
  • Qual a diferença clínica entre gripes, resfriados, rinites e rinossinusites? Os sintomas da gripe e do resfriado podem ser semelhantes,…
  • Quando a cirurgia está indicada para a resolução da obstrução nasal? A cirurgia está indicada nos casos em que alterações anatômicas…

Encontre-nos no Facebook